Futebol Americano no Brasil

É indiscutível, o Futebol é a paixão nacional dos brasileiros. Apesar de termos bons representantes em diversos outros esportes, ainda assim, aquele que faz o coração do brasileiro bater mais forte é um só. Toda a emoção que existe em uma Copa do Mundo, por exemplo, é inigualável a qualquer outro campeonato.

Entretanto, há pouco mais de dez anos, outra modalidade esportiva passou a ganhar um pedacinho do coração de alguns brasileiros. O Futebol Americano, o esporte mais apreciado pelos norte-americanos, está aos poucos chegando no Brasil.

O futebol americano é uma variação de outro esporte: o rugby. O futebol americano surgiu durante uma partida entre a universidade de Harvard e a universidade de Yale, em meados do século XIX. O problema é que os times jogavam de modo diferente: enquanto um jogava com as regras do rugby, o outro jogava com estilo próximo ao futebol europeu. Pretendendo um acordo, Yale assimilou as regras do rugby e Harvard, o modo de correr com a bola. A primeira organização desse esporte foi a Intercollegiate Football Association, composta pelas universidades de Harvard, Yale, Columbia e Princeton, e que essa instituição optou por adotar as regras do rugby, mas com diferenciação na contagem de pontos.

No Brasil, o esporte ganhou espaço a partir de 2000 no Rio de Janeiro, quando foi criada a ASSOCIAÇÃO DE FUTEBOL AMERICANO E DE BANDEIRA DO BRASIL – AFAB. Hoje, a entidade é reconhecida pelas organizações nacionais e internacionais como a representante do esporte no Brasil.

Focada em um trabalho de desenvolvimento estruturado do esporte no país, a AFAB expandiu-se do Rio de Janeiro para os demais estados, no momento de maior crescimento do esporte dos últimos dez anos buscando realizar sua MISSÃO de “Fomentar o crescimento e o desenvolvimento estruturado das modalidades associadas ao futebol americano, no Brasil”.

A AFAB possui associados e representantes nos estados de maior desenvolvimento do esporte: Mato Grosso, Minas Gerais, Paraná, Rio de Janeiro e São Paulo e espera para muito breve a associação de outros tradicionais pontos do esporte no nosso país.

No Paraná, mais especificamente em Curitiba, contamos com três times: Barigui Crocodiles, Curitiba Brown Spiders e Curitiba Hurricanes.


O empresário Clayton Martins Júnior há quatros, depois de acompanhar o esporte pela televisão, decidiu começar a praticar.

Por meio da ajuda de um amigo que era da Seleção Brasileira de Futebol Americano, surgiu a ideia de começar a treinar um esporte pouco divulgado em nosso país. “Joguei durante três anos no Brown Spiders e há seis meses estou no Curitiba Hurricanes”, comenta.

De acordo com ele, o time foi fundado por amigos que gostavam de assistir Futebol Americano, surgiu em 2006, mas foi apenas em 2009 que o time conseguiu atletas de corpo e alma, comprometidos com o esporte e visando resultados em grupo. Foi também em 2009 que o Curitiba Hurricanes fez o seu registro como associação esportiva sem fins lucrativos comprometendo-se de fato com a divulgação e boas práticas do Futebol Americano.

Júnior explica que durante a semana são três treinos, terças, quintas e aos sábados e eles são divididos em tático, físico e por fim o jogo. Por se tratar de um esporte amador, nenhum deles ganha a vida por meio do esporte, ou seja, eles têm seus empregos e mesmo assim encontram tempo para formar um time, treinar e participar de campeonatos. “Nós precisamos, literalmente, largar a família por muitas vezes. É preciso um pouco de organização também, a gente procura não marcar nada durante os horários de treino, a não ser que seja motivo de doença”, explica Júnior.

Foto retirada do Blog do Curitiba Hurricanes

Entretanto, 90% dos jogadores levam seus familiares juntos, tanto em treinos quanto em campeonatos.

As viagens são rateadas entre os jogadores, eles pagam uma mensalidade para manter o local onde treinam (Parque Barigüi) e para os campeonatos. Quando falta dinheiro, eles complementam.

Para os interessados em participar do time, é preciso alguns requisitos. “Pode praticar o esporte quem tem condições físicas e financeiras, pois os equipamentos são caros”, ressalta Júnior.

Os campeonatos são realizados pela Federação Paranaense de Futebol Americano e pela Liga Brasileira de Futebol Americano.

Júnior também alerta aos interessados que, a partir do momento que se esta em um time, qualquer contusão ocorrida, é por conta do jogador. “As lesões são constantes, mas o risco é de cada um, somos um time amador e não temos condições de arcar com isso. Ao entrar no time, o jogador assina um termo de responsabilidade e precisa levar um atestado médico alegando a aptidão do atleta”.

Na hora do trabalho, o Futebol Americano continua presente na vida de Júnior.

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s