Como evitar lesões de quadril?

É comum sentirmos dores e lesionarmos algumas partes de nosso corpo, principalmente quem pratica esportes de impacto. As lesões no joelho, tornozelo, ombros e punhos são as que mais ocorrem. Entretanto, existe uma articulação que é mais difícil de ser afetada, mas quando acontece, é preciso tomar as medidas corretas para recuperá-la.
Estamos falando do quadril e pelve. Por ser uma articulação maior, mais profunda e por ser protegida por músculos, torna-se mais difícil de ser atingida, porém, não é impossível de acontecer, e quando acontece o diagnostico muitas vezes se torna mais difícil, e o tratamento mais demorado.
De acordo com o médico especialista em cirurgia do quadril, Marco Antonio Pedroni, Presidente da Sociedade Brasileira de Quadril – Regional Paraná, os esportes de contato são responsáveis por muitas lesões, que acometem e comprometem o quadril e ou a pelve.

A pubalgia caracteriza-se pela dor na região púbica. As causas deste tipo de sintomas são variados, o principal é o desequilíbrio da musculatura que se insere na região pubiana (adutores, retos e oblíquos abdominais). Estes desequilíbrios podem ocorrer pela falta de alongamento e fortalecimento, pelo excesso de atividade físicas ou atividades inadequadas. Esta síndrome acomete mais os atletas profissionais, jogadores de futebol e corredores. Porém, pode aparecer em qualquer pessoa que pratica atividade física”, explica o médico.

Além disto, Pedroni destaca que existem outras causas, tais como infecções, traumas e processos inflamatórios. Os sintomas desta síndrome são bem específicos. Basicamente são: dores na região pubiana que irradia para os músculos adutores (virilha), para genitália e baixo ventre. Pode piorar com movimentos mais intensos, tanto na vida diária quanto na prática de exercícios, como correr, saltar ou jogar futebol. Para aliviar a dor, um médico especializado, indica o uso de antiinflamatórios, analgésicos, fisioterapia, mudanças de hábitos de vida e esportes e em casos rebeldes ao tratamento infiltrações com corticóides ou cirurgia. O principal diagnóstico diferencial é a hérnia inguinal, outras como fraturas por stress nos ossos da pube, e estiramentos musculares também fazem parte.

Para evitar estas dores, é preciso seguir algumas regras e limitações do corpo. “A melhor forma de combater esta síndrome é reequilibrar e fortalecer a musculatura, mudar e adaptar-se às atividades físicas, evitar gestos esportivos repetitivos de forte intensidade e corrigir a postura. Para protegê-la recomenda-se alongamento e fortalecimento da musculatura”, finaliza Pedroni.

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s