Corrida de orientação: o mapa é o caminho

A Orientação é um esporte que está se difundindo muito no Brasil. Tradicional na Europa e praticado como disciplina regular nas escolas, tal como educação física, por exemplo. Essa modalidade foi trazida para o Brasil pelos militares na década de 70 e em meados dos anos 90 foi aberta ao público civil, que demonstrou interesse, boa aceitação e adesão de vários praticantes. Atualmente no Brasil a corrida de orientação é praticada por muitas pessoas e nos últimos cinco anos teve um crescimento vertiginoso com a realização de competições municipais, estaduais, nacionais e internacionais, sempre com grande presença de público e participantes.
A IOF – Federação Internacional de Orientação – definiu oficialmente o termo Orientação como o nome de identificação do esporte, caracterizado pelo uso de mapa e bússola com regra e simbologia própria.

Luciano Oliveira

O objetivo desse esporte é localizar os pontos de controle através da interpretação do mapa da prova. Pode ser desenvolvido tanto em área urbana quanto rural, sendo um dos principais atrativos a prática do esporte junto à natureza. Na competição, o “orientista” recebe um mapa e precisa resolvê-lo descobrindo o melhor caminho no menor tempo possível, o desafio ao raciocínio é a grande sacada.
Não existe o caminho certo e o errado. Quem escolhe o melhor caminho é o próprio atleta. A orientação é calculada respeitando a experiência de cada pessoa, quanto maior o conhecimento, mais difícil é o mapa.

Mapa da corrida

“Ministrando aulas de orientação, percebi que as pessoas inativas ou que praticam pouca atividade física encontram na Orientação uma forma de se exercitarem regularmente de maneira divertida”, explica o orientista Luciano Oliveira.
A corrida de orientação é um esporte recomendado para todas as pessoas: crianças, adultos, idosos, homens e mulheres. Recomenda-se, porém, que a iniciação ao esporte se dê por meio de uma aula de iniciação ao esporte orientação, ministrada pelos diversos clubes de orientação espalhados pelo Brasil. Após a aula, o iniciante terá condições de participar de competições oficiais de orientação em qualquer lugar do mundo, pois a linguagem do esporte é universal regida por regulamento próprio.
“No Brasil temos aproximadamente 60 clubes de orientação e em Curitiba temos dois – COC e COGA. O clube de orientação é a instituição que organiza o esporte, as competições e a inserção dos iniciantes nas aulas e clínicas de iniciação”, explica Luciano.

Os mapas têm diversos níveis de dificuldade, são feitos para cada tipo de pessoa respeitando idade, sexo e conhecimento técnico.
As provas tradicionais são calculadas para que o competidor consiga concluir o percurso entre 50 e 60 minutos geralmente.
A orientação contribui muito para a melhoria da qualidade de vida das pessoas. Para as crianças, por exemplo, é uma forma de trabalhar a memorização, de conhecer o mundo, entrar em contato com a natureza, exercer o autoconhecimento e a autoconfiança. É um ensino para a vida aliado à prática regular de atividade física. Para o adulto, é uma ótima ferramenta de descontração, o praticante desconecta o raciocínio dos problemas do dia a dia e se concentra exclusivamente no mapa, diminuindo o nível de estresse enquanto faz ludicamente a manutenção do aparelho cardiovascular e respiratório, melhorando a qualidade de vida. Para os idosos, essa atividade ajuda no fortalecimento corporal e muscular. “A orientação estimula o praticante a buscar cada vez mais pela cognição, autoconfiança e autocontrole”, conclui Luciano.

Geralmente, uma competição para o atleta filiado custa entre R$25 e R$35 e varia de prova para prova. Para o atleta convidado o valor é um pouco diferente, por isso é interessante que a pessoa se filie ao clube pagando uma pequena taxa de filiação.
As corridas municipais e estaduais acontecem sempre aos domingos, a partir das 10h e cada pessoa tem seu horário de largada. “O que é mais interessante na orientação é a ludicidade, o desafio e a conquista de objetivos. Quem promove a qualidade de vida na nossa vida, somos nós mesmos. O relógio não vai parar e avisar que agora é hora de se exercitar”, comenta Luciano. A corrida de orientação é um esporte que deu certo e veio para ficar. Sua divulgação pela sociedade tem acontecido muito pela propaganda pessoal. “A orientação tem apenas um defeito: vicia”, finaliza.

Maiores informações sobre o esporte Orientação nos sites da Confederação Brasileira de Orientação e Federação Paranaense de Orientação e pelos e-mails: orientista.oliveira@gmail.com ou orientaxavier@ibest.com.br

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s