A prática do Rally no Brasil

O Rally tem sido um esporte bastante praticado no país. Em Curitiba, Thiago Osternack é um atleta da modalidade que já coleciona alguns bons prêmios. De 2004 a 2007, Thiago competiu no rally de regularidade e conquistou a vitória em diversos rallys institucionais e no Campeonato Paranaense, na Categoria Graduados. “Desde 2008 estou competindo no rally de velocidade, sendo que no ano de 2010 consagrei-me vice-campeão brasileiro na categoria N2 light e 3º colocado da categoria 206 da Copa Peugeot de Rally de Velocidade”, completa.

As últimas competições disputadas pelo atleta foram a 5ª etapa da Copa Peugeot de Rally de Velocidade em Resende no Rio de Janeiro e Etapa da Mitsubishi Cup em Jaguariúna, em São Paulo com uma Pajero TR4ER. “Atualmente estou competindo na Copa Peugeot de Rally de Velocidade, no Campeonato Brasileiro de Rally de Velocidade, participando também do Campeonato Sulamericano de rally de Velocidade e na Mitsubishi Cup”, conta Thiago.
A Copa Peugeot de Rally é um campeonato nacional monomarca, disputado nas categorias regularidade e velocidade, por veículos Peugeot 206 e 207. É uma modalidade do automobilismo conhecida por ser disputada fora de autódromos ou circuitos, ou seja, o rally ocorre em estradas vicinais onde o ponto de partida é diverso do ponto de chegada. “Por não ser uma prova que ocorre em circuitos, um rally é composto por diversos trechos cronometrados, chamados de “SS” – do inglês special stage. No rally de velocidade, essas SS´s são totalmente fechadas ao trânsito normal de pessoas e veículos. Após um reconhecimento prévio dos competidores (características do trecho, tais como curvas, saltos e perigos), os veículos largam um por vez, com um intervalo de dois minutos, sendo vencedora a dupla que completar todas as SS´s no menor tempo”, explica o corredor.

Existe o rally de velocidade, que é destinado a veículos totalmente construídos ou adaptados para competição, obedecendo a um sério e exigente regulamento mundial de segurança e o rally de regularidade, que seria a porta de entrada para esse mundo. Os competidores não conhecem o trecho por onde passarão e, instantes antes de largarem, recebem da organização uma planilha contendo as direções a serem tomadas, com uma determinada velocidade média pré-estabelecida. “Através da velocidade média cedida na planilha recebida, os competidores devem calcular o tempo exato em que devem estar em cada quilômetro de prova. Sendo assim, no rally de regularidade, vence a dupla que for mais constante e andar mais perto da velocidade estabelecida. Esse tipo de prova ocorre em estradas abertas ao trânsito normal de veículos e pessoas. Nas categorias iniciais, pode ser disputada por qualquer veículo que esteja devidamente documentado e dentro das leis de trânsito”, complementa Thiago.
Segundo o atleta, na Copa Peugeot de Rally, veículos 206 e 207 são permitidos e montados pela própria fábrica da Peugeot, por meio de sua divisão Peugeot Sport Brasil. No Campeonato Brasileiro de Rally de Velocidade, são admitidos quaisquer veículos documentados, desde que tenham sido fabricados nos últimos dez anos e estejam em acordo com o regulamento técnico de montagem dos mesmos. “Um carro de rally de velocidade é composto por uma tripulação formada por um piloto e um navegador. Qualquer pessoa pode participar do rally de velocidade, desde que seja devidamente federada, ou seja, é necessário procurar a Federação de Automobilismo de cada Estado e fazer uma Carteira de Piloto da Confederação Brasileira do Automobilismo. Também é exigida uma indumentária para participar das provas, que é composta por um capacete com intercomunicador, macacão antichamas, sapatilha antichamas e uma balaclava para àqueles que possuem barba”, completa Thiago.

No Brasil, conforme explica o corredor, os rallys são disputados quase que na totalidade em estradas de terra e de fazendas. São estradas públicas, de cascalho e terra compactados, em bom estado de preservação.
Os treinos dependem da estratégia de cada dupla e da disponibilidade de cada equipe que prepara o carro de competição. “Nós procuramos fazer dois treinos por mês em uma pista de treinos ou em trechos devidamente fechados com toda a segurança necessária. Nosso carro é preparado pela equipe RT One, do multicampeão de Rally, Rafael Tulio, a qual nos dá toda a estrutura necessária para a realização dos treinos”, conta.
Ao participar da Copa Peugeot de Rally de Velocidade, os corredores ganham alguns benefícios e os cinco primeiros colocados de cada etapa recebem uma premiação em dinheiro. “A Peugeot Sport concede aos competidores diversos benefícios através do subsídio de peças para reposição nos veículos, as quais chegam aos competidores com preços mais acessíveis. Nos outros campeonatos não há premiação em dinheiro”, finaliza Thiago.

O Campeonato Brasileiro de Rally de Velocidade vai acontecer em Pomerode, em Santa Catarina, dos dias 3 a 6 de novembro e dos dias 2 a 4 de dezembro, acontece a 7ª etapa da Copa Peugeot de Rally de Velocidade em São José dos Campos, em São Paulo.

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s