Série Paradesporto: Esgrima

Diferente do que muitas pessoas possam pensar um cadeirante ou um portador de doença física, é alguém capaz de exercer atividades diversas, são pessoas que têm limitações, mas que não devem usar isto como empecilho para ir atrás de seus sonhos e de superar dificuldades. Os caminhos para se chegar são vários, muitas vezes é preciso escolher o mais difícil, mas de qualquer forma, o destino é o mesmo. Continuar a ler

Apresentação do Paradesporto para pacientes da Clínica Ana Carolina Moura Xavier

Aconteceu, na última segunda-feira, 13, a apresentação dos para-atletas na Clínica Hospitalar de Reabilitação Ana Carolina Moura Xavier. Foram apresentadas as diversas modalidades que a ADFP (Associação dos Deficientes Físicos do Paraná) oferece aos interessados na prática do esporte.
A abertura do evento foi feita pelo médico responsável pela clínica, Luis Antônio Munhoz da Cunha, juntamente com o representante da Secretaria Municipal Especial dos Direitos da Pessoa com Deficiência de Curitiba, Irajá de Brito Vaz. Continuar a ler

O crescimento do Para-Desporto no Brasil e no mundo

O Esporte Adaptado surgiu no início do século XX, de forma muito tímida. Na primeira década do século, iniciaram-se as atividades competitivas para jovens com deficiência auditiva, especialmente em modalidades coletivas. Por volta de 1920, tiveram início as atividades para jovens com deficiência visual,especialmente a natação e o atletismo. Para pessoas com deficiência física, o início do esporte oficialmente se deu ao final da Segunda Guerra Mundial, entre 1944 e 1952, quando os soldados voltaram para os seus países de origem com vários tipos de mutilações e outras deficiências físicas.
As primeiras modalidades tiveram origem na Inglaterra e nos Estados Unidos. Na Inglaterra, por iniciativa do médico Ludwig Guttmann, indivíduos com lesão medular ou amputações de membros inferiores começaram a praticar jogos esportivos em um hospital em Stoke Mandeville. Continuar a ler

ADFP: uma associação que preza o trabalho social e o Paradesporto

O esporte, seja ele qual for, é sempre muito recomendado para que tenhamos qualidade de vida, para que nos sintamos bem e, principalmente, para que possamos, por meio dele, conhecer amigos, ter motivações e aprender a ter espírito competitivo.

E a recomendação é a mesma para pessoas com deficiências. A forma para que eles possam encontrar motivação, para que socializem e, principalmente, para que tenham uma boa qualidade de vida, é praticar esporte. Continuar a ler